polvo-batatas-murro
Acompanhamentos, Legumes & Verduras, Peixe & Frutos do Mar

A primeira vez a gente nunca esquece: Polvo com Batatas ao Murro

Sou dessas que convida alguém para jantar e inventa de fazer um prato nunca testado antes. Procuro mil e uma receitas, escolho as que mais gosto, monto uma de acordo com o meu paladar e me jogo nas panelas. De duas semanas para cá, foi me dando uma vontade enorme de comer polvo. Isso mesmo, polvo.
 
Muito bem, durante a semana marquei um jantar para sábado e decidi casar a minha vontade (de comer polvo) com o que seria servido. Tudo perfeito se não fosse um singelo detalhe: nunca na minha vida tinha me arriscado a cozinhar polvo. Por que? Muito simples. Polvo é pior que camarão, quando você erra ele fica literalmente uma borracha… E aí meu bem, “um beijo, você perdeu o seu prato.”
 
Apesar do medinho, não me deixei abater. Primeira decisão: polvo fresco ou congelado? Optei pelo congelado por um motivo muito simples: ainda não estava psicologicamente preparada para limpar um polvo (pode me chamar de fresca). Fui ao Mercado Municipal atrás do bendito e achei um no peso ideal (1,200kg), limpo e congelado. Depois, fui atrás do melhor método de cozimento. Sem tirar a credibilidade do Google, achei prudente conversar com uma pessoa que já tem o hábito de preparar polvo: uma grega de carteirinha.
 
Para acompanhar, nada melhor que batatas. Que tipo? Batatas ao Murro com muito alecrim, azeite, sal grosso e alho. Uma combinação simples, no entanto, perfeita.  
 
Ingredientes separados, era a hora da verdade.Mãos a obra! Ou melhor, nos tentáculos.
 
Para 2 pessoas:

  • 1 polvo limpo (sem bico, olhos e vísceras) de aproximadamente 1,200kg 
  • 4 folhas de louro
  • 1 cebola
  • Água filtrada (suficiente para cobrir o polvo)


 
Coloque o polvo para descongelar na geladeira dentro de uma vasilha, na noite anterior ao preparo. Atenção: quando ele for para a panela, deverá estar inteiramente descongelado!
 
Teoricamente o polvo congelado já está limpo, no entanto, eu achei melhor lavar mais uma vez para tirar qualquer resquício de areia. Lave bem os tentáculos e as ventosas em água corrente.
 
Em uma panela de pressão coloque o polvo, uma cebola cortada ao meio, 4 folhas de louro, um fio de azeite e cubra com água filtrada (apenas o suficiente para cobrir o polvo). Acenda o fogo e só quando começar a ferver, coloque a tampa. Quando pegar pressão abaixe um pouco o fogo (não queremos explodir nada, ok?) e conte 25 minutos.
 
Quando der 25 minutos, desligue o fogo, e tire a pressão da panela em baixo de água corrente (na pia mesmo). Se você não fizer isso, seu polvo continuará cozinhando e ele ficará borrachudo.
 
Retire da panela, coloque sobre uma tábua e corte com a ajuda de uma boa faca ou tesoura.
 
Para as batatas:

  • 5 batatas médias
  • 3 dentes de alho
  • Q/n de sal grosso
  • Q/n de alecrim (fresco ou em conserva)
  • Q/n de azeite
  • Papel alumínio


 
Lave bem as batatas e cozinhe com casca por aproximadamente 30 minutos. Elas não podem abrir e nem devem ficar muito moles, ok? Como o tempo varia de acordo com o tamanho das batatas, sugiro que ao longo do cozimento você espete com a ajuda de um garfo para saber se elas estão boas.
 
Com a ajuda de um pano (para não queimar as mãos), dê uma leve prensada  em cada batata. Não precisa dar um murro, isso é jeito de dizer!
 
Forre um pirex com papel aluminio, e espalhe um pouco de sal grosso. Disponha as batatas presadas. Polvilhe sal grosso e alecrim em cima das batatas e regue com azeite. Amasse com casca os 3 dentes de alho e disponha no pirex.
 
Leve ao forno pré-aquecido à 200º por aproximadamente 15 minutos.
 
Sirva o polvo com a batata e regue com azeite para finalizar!
 
Bon Appétit!
Bisous,

Write a comment