risoto-rucula
Risotos

Salvando a pátria: Risoto de Rúcula com Tomate Seco e Queijo Mascarpone

Semana passada teve jogo do Brasil e em homenagem à Copa ao maravilhoso time italiano, eu preparei um risoto de rúcula com tomate seco e queijo mascarpone. Dessa vez, nada de churrasco durante o jogo: fiquei em casa fazendo companhia para o meu pai. Antes do jogo começar eu perguntei se ele queria algum petisco em especial. Ele disse que não precisava e que as torradinhas com patê estavam de bom tamanho. Estranhei, óbvio. Ele dificilmente recusa comida. Durante o intervalo do primeiro tempo, ele se virou e perguntou o que faríamos para o jantar. Justamente por ser dia de jogo, ninguém tinha planejado absolutamente nada.

Sugeri pizza. Ele, delicadamente, perguntou porquê não um risoto. Afinal de contas, não ia tomar muito tempo, era fácil de fazer… Na hora eu entendi porque ele tinha recusado os petiscos. Ele já queria comer alguma coisa, inclusive, ele já até sabia o quê. Mais tarde descobri que ele até já tinha colocado um vinho branco para gelar. Bandido.

Por sorte, naquele mesmo dia minha mãe foi ao supermercado e trouxe um maço lindo de rúcula. Rúcula normal, não a hidropônica. Ou seja, folhas grandes, vistosas e com gosto (achamos a hidropônica um pouco sem graça). Já tínhamos um saquinho de tomates secos no armário mofando. Como já estava com a ideia de fazer um risoto de rúcula com tomate seco, confesso que até gostei da ideia. Como sempre temos arroz arbóreo no armário, definitivamente não seria trabalho nenhum.

Minha única dúvida foi o queijo. Pensei seriamente em colocar queijo brie, mas aqui em casa o pessoal é rápido. Quando abri a geladeira só tinha a embalagem dando sopa, o queijo que é bom já tinha ido há tempos. Apesar do risoto já ser um prato “cremoso”, ainda assim não estava satisfeita. O jeito foi colocar parmesão para dar sabor e mascarpone para dar cremosidade. Como o mascarpone não tem muito gosto, ele cai super bem com os queijos mais marcantes.

A combinação – acho nem preciso comentar – dá super certo. Um sabor complementa o outro perfeitamente! Para acompanhar sempre escolho vinho branco. No entanto, quando sirvo com carne vermelha acabo mudando para um vinho tinto. Resumindo: um risoto versátil e saboroso.

Vem comigo!

Para 4 pessoas:
2 xícaras de arroz arbóreo (sem lavar)
1 cebola pequena picada
2L de água
2 tabletes de caldo de legumes (ou galinha)
1 xícara de chá de vinho branco
1 maço de rúcula picada grosseiramente
14 tomates secos
3 colheres de sopa de mascarpone
Q/N de parmesão ralado (de preferência fresco)
Q/N de azeite
Sal a gosto

Pique os tomates secos (fiz isso com uma tesoura de cozinha) e deixe-os de molho em água quente por 15 minutos. Passado o tempo necessário, separe os tomates picados e reserve a água em outro recipiente.

Em uma panela, esquente 2L de água e dissolva os tabletes de caldo de legumes. Quando a água estiver a ponto de levantar fervura, abaixe o fogo.

Em uma outra panela quente, adicione um fio de azeite e refogue a cebola picada. Deixe a cebola suar bastante para então adicionar o arroz. Refogue o arroz sem queimá-lo por uns 3 minutos. Em seguida, adicione o vinho e continue mexendo até ele evaporar completamente.

Coloque duas conchas de caldo e mexa. Eu não fico mexendo o arroz toda hora porque ele solta muito amido e, consequentemente deixa o risoto muito empapado – prefiro ele mais al dente. Espere a água começar a secar, adicione mais caldo e mexa rapidamente. Esse processo demora em média 15 minutos.

Quando o arroz estiver al dente, acrescente o tomate seco. Em seguida, adicione a rúcula picada. Mexa bem. Coloque uma concha da água em que o tomate seco ficou hidratando e mexa novamente.

Adicione o mascarpone e misture. Finalize com o parmesão ralado.

Sirva quente.

Bon Appétit!
Bisous,

Write a comment